Archive for the 'Cultura organizacional' Category

03
ago
09

Ambiente físico como diferencial estratégico para os negócios

flw_Larkin_interiorA humanização do ambiente de trabalho vem se ampliando não por simples modismo, mas pela necessidade de se buscar diferenciais competitivos sustentáveis. Finalmente nos demos conta de que qualquer empresa é feita por pessoas, e de que as pessoas não são máquinas com precisão matemática.

Todos temos particularidades, idéias, emoções e atitudes personalíssimas, que ao mesmo tempo causam e recebem influência de um meio físico, social e cultural. Isso não é novidade, mas a diferença agora é que estamos começando a reconhecer tudo isso. Uma das maiores provas dessa mudança é a chegada da era do conhecimento e, por extensão, da gestão do conhecimento nas empresas.

Quem gera conhecimento é a pessoa, ao atribuir significado às informações que acessa. Por essa razão, gerir conhecimento envolve a gestão de relacionamentos que possam reduzir tempo de aprendizagem a partir do compartilhamento de informações e das práticas conjuntas (em equipe) geradoras de conhecimento.

Esse processo otimiza a produtividade porque potencializa o ganho de expertise dos profissionais da empresa. Para isso é preciso compreender cada vez mais o ser humano e suas relações – intrapessoal, interpessoal e com o meio cultural e físico.

Nesse contexto é preciso que as variáveis sociais, culturais, intrapessoais e ambientais estejam alinhadas, coerentes com as práticas de gestão. Para o colaborador, a percepção de uma eventual incoerência pode até levar tempo, mas em algum momento será identificado quando o discurso é apenas “politicamente correto” e quando corresponde de fato às intenções e as práticas empresariais.

Nesse ponto cabe a seguinte questão: a empresa está disposta a perder talentos devido à práticas incoerentes de gestão?

Anúncios
29
jun
09

Ambiente físico propício à gestão do conhecimento

clubEquacionar a necessidade de privacidade e interação é um desafio da concepção dos ambiente de trabalho da atualidade, especialmente diante da demanda de espaços que permitam a convivência e contato constante, que possibilitem a troca de conhecimento de maneira desimpedida e, por outro lado, certos tipos de trabalho que exigem concentração, sigilo e respeito à privacidade.

A polêmica privacidade vs. interação é apimentada quando o discurso da “necessidade de abrir os espaços e ao mesmo tempo possibilitar àqueles que necessitam salas fechadas” é utilizado como justificativa para, no fundo, fazer uso da diferenciação do tratamento dos ambientes como símbolo de status e indicação da posição hierárquica. Nos Estados Unidos por exemplo, a expressão corner office (escritório de quina, com duas faces envidraçadas) é freqüentemente utilizada como símbolo de ascenção profissional.

Concordo que haja diferentes necessidades de espaço físico conforme a atividade exercida e as características da equipe. O que não concordo é que as verdadeiras intenções do tratamento diferente dos espaços, com “salas para os chefes e baias apertadas para o staff” – opinião de um colaborador em pequisa de opinião sobre o ambiente físico de trabalho que realizei – esteja ocultada por um discurso de necessidade de maior interação entre as áreas. Continue lendo ‘Ambiente físico propício à gestão do conhecimento’

25
jun
09

Onde os talentos preferem trabalhar?

blue space IBM workspaceTer uma marca forte, ou seja, com forte evocação de imagens mentais positivas, é importantíssimo para o sucesso de qualquer produto. Além disso, atualmente as empresas são lembradas não apenas pelos produtos e serviços que oferecem, mas também por fatores que cada vez mais se compreende como parte importante do negócio, tais como a responsabilidade social e a qualidade de vida no trabalho, haja vista os rankings anuais das melhores empresas para se trabalhar e os índices de sustentabilidade empresarial.

Mas o que dizem os talentos a respeito do local de trabalho? Em pesquisa que realizei sobre a qualidade do ambiente físico de trabalho junto a colaboradores de uma empresa de educação executiva, foram aplicados instrumentos que solicitavam aos respondentes, através de livre expressão, que caracterizassem e opinassem a respeito de seu local de trabalho atual, além disso que registrassem como seria o local de trabalho ideal. Continue lendo ‘Onde os talentos preferem trabalhar?’

20
jun
09

A empresa na mente dos líderes e talentos

Quando você pensa na empresa em que trabalha, que imagem vem à sua mente? Que idéias e emoções?

Você que é líder de uma organização, que imagem gostaria de inspirar em seus colaboradores? E você que é um talento, que imagem tem da empresa em que gostaria de trabalhar?

Pois bem, essas perguntas estão relacionadas com a cultura organizacional praticada pela empresa e que são ao mesmo tempo causa e efeito do comportamento (o que fazem) e da cognição (o que pensam e o que sentem) das pessoas que dela fazem parte e também de seu ambiente físico. Pode-se dizer que as pessoas, o meio e a cultura se influenciam mutuamente.

As características físicas do lugar impregnam fortemente o imaginário das pessoas, uma vez que são percebidas através de todos os sentidos (visão, tato, olfato, audição, e até o paladar). Ao mesmo tempo as relações interpessoais estabelecidas, a cultura em prática e a cognição do indivíduo dão significado às percepções físicas experimentadas.

Quando todos esses elementos estão conjugados, o resultado é uma imagem organizacional forte e coerente a respeito do lugar, o que contribui para sensação de bem-estar, satisfação e motivação, e para uma idéia clara sobre o que se tem e o que se pode esperar dali. Por outro lado, a incongruência desses fatores leva a desconfiança, estranheza, desorientação, sensação de insegurança e desmotivação, devido à incoerência das informações.

05
jun
09

Humanizando o desenho do lugar de trabalho (Human based workspace design)

By Ana Paula Simões

workspaceHumanizar o desenho do local de trabalho é tornar mais humano todo o processo de concepção do ambiente, ou seja, além de considerar as demandas técnicas e funcionais características do negócio, é preciso levar em consideração as pessoas envolvidas no processo, sua cognição, comportamento e o contexto social e cultural.

Os modelos de trabalho e processos de produção vêm mudando em velocidade acelerada desde a revolução industrial. A mudança dos artefatos – equipamentos, tecnologias, métodos e técnicas – estão na ponta do processo e provocando a necessidade de mudanças nas relações humanas – sociais e culturais – de menor velocidade. É mais rápido mudar coisas (desprovidas de desejos e necessidades) do que pessoas – com valores, crenças, expectativas e temperamentos diferentes.

Curioso observar que a produção do local de trabalho reflete essa diferença de velocidade: ao mesmo tempo em que avança o desenvolvimento de novos materiais, processos construtivos e tecnologia, o ritmo da demanda e produção de ambientes de trabalho que sejam um reflexo dos mais recentes modelos organizacionais é bastante lento.

Continue lendo ‘Humanizando o desenho do lugar de trabalho (Human based workspace design)’

27
fev
09

O ambiente e as relações de poder no trabalho

espaco_pessoal4Mesas grandes, cadeiras de espaldar alto, salas com espaço suficiente para um sofá e objetos de arte, são características típicas de uma alta posição nos níveis de poder. Por outro lado, ser ocupante de uma “baia” ou cubículo, sem direito a janela, demonstra uma posição mediana na escala de poder. Nem sequer ter uma mesa pode indicar a menor posição, a não ser que essa pessoa seja um home-worker ou tenha um tipo de trabalho externo.

Continue lendo ‘O ambiente e as relações de poder no trabalho’

24
fev
09

cultura organizacional e o ambiente de trabalho

fig62Ao analisarmos a cultura organizacional vigente em uma determinada instituição, podemos levar em conta variáveis como as imagens da organização que cada indivíduo forma a respeito da empresa (ver Gareth Morgan), a força motriz organizacional e os valores que a impulsionam (ver  Silvio Johann).

Dados a respeito das três variáveis que mencionei acima podem ser obtidos através de entrevistas e questionários aplicados junto às pessoas que compõem a empresa. Além desse tipo de ferramenta, considero que a análise do ambiente de trabalho e do comportamento das pessoas dentro no local é também muito valioso e pode elucidar a dinâmica socio-cultural vigente e que, em certas situações, podem não estar claras nem mesmo para as pessoas que vivem o dia-a-dia da empresa.

Atualmente já é possível, por exemplo, fazer uma correlação direta entre o layout de um escritório e o sistema de trabalho adotado, havendo uma conexão entre o nível de territorialidade e as características grupais ou individuais das tarefas realizadas.

Mas não é apenas no layout que a cultura organizacional se manifesta. Ela também está presente em pequenos detalhes da organização física do espaço, desde os objetos sobre as mesas até murais e locais para o inocente cafezinho.

Para pensar: o que o seu ambiente de trabalho “diz” sobre a cultura da sua empresa?




Add to Technorati Favorites

perfil

Sou Ana Paula Simões, pesquisadora da relação pessoa-ambiente em diversos contextos de interrelação. Postarei aqui informações, curiosidades, pesquisas e ferramentas interessantes na área. Seja bem-vindo(a)!

twitter anasimoes

Twitter Consvita

Enquete